É bastante comum ouvir pessoas comentando sobre terem encontrado a atividade de seus sonhos, seja a prática de yôga, o desenvolvimento de software, criação de arte (entre outros :)), e que gostariam de transformar isto num negócio – o maior deles.

Como premissa, tem-se que estes empreendedores desejam que seus futuros clientes experimentem da mesma sensação, logo, chega-se na primeira questão: como atingir este público? Aqui entra a marca: através desse meio todos os valores os quais você pretende transmitir são agregados e relacionados.
Pode-se fazer uma analogia com os conjuntos matemáticos: “o conjunto empresa contém os elementos inovação, produtividade e competitividade”. Este conjunto é a sua marca, um agrupamento daquilo que o tornará atrativo e levará a sua mensagem adiante.

Você pôde notar que a abordagem do fator marca é muito mais psicológica por assim dizer, ou seja, a construção de uma imagem positiva incisa em seu público-alvo é de suma importância. Pare por um segundo e reflita: como sua clientela vê o seu negócio hoje e como, no lugar de um cliente, você definiria seu empreendimento através de adjetivos? Eis a sua imagem montada.
Definamos então o que de fato possibilita a criação da “maior marca do mundo”.

Nome

Qual o seu nome? O que ele representa? Nascemos livres para preencher estes questionários. De mesmo modo, você tem em mãos a pena para falar por seu negócio.

Já cansamos de ouvir que Steve Jobs foi um gênio, um dos maiores da história recente. Não trata-se apenas de desenvolver e vender chips, mas sim de entender como as pessoas funcionam. Apple. Maçã. O mundo ama esta fruta. Nos remete a natureza, a saudabilidade, prazer.

Ele poderia ter pensado em um nome misturando informações sobre aquilo que ele estava vendendo. Na verdade ele fez isso. Ele dizia estar vendendo felicidade, e assim nomeou sua empresa.
Tudo se trata de construção positiva sobre o seu próximo passo, sua realização.

“Imagem”

Pense numa marca de refrigerante. Talvez você tenha pensado na Coca-Cola. Pepsi para os alterativos. Por mais que você desaprove algo relacionado a essas marcas, é inegável que sua imagem está atrelada a cultura da maior parte do planeta, tendo em mente que o logo da Coca-Cola é reconhecido em cerca de 94% do mundo (desculpe Facebook).

Nossa observação vem se tornando cada vez mais interessante. Tenha em mente o logotipo da marca. As letras cursivas transmitem a casualidade e a familiaridade que a multinacional tenta (leia-se “consegue”) transmitir. Assim como um time de futebol dispõe de seu brasão, a Coca-Cola possui seu logo, que não por acaso carrega uma história bastante promissora e ativa tanto do ponto de vista profissional quanto social, citando como exemplo, os primeiros jogos olímpicos internacionais, a premiação dos guerrilheiros americanos a retornar da Segunda Grande Guerra, os projetos de ajuda humanitária, etc.

Claro, tudo isso custa muito dinheiro. Mas, o que queremos perceber aqui é que o logo acaba sendo o foco de tudo isso, ninguém pensará nos prédios, nos caminhões, nos funcionários, mas sim no logotipo, com sua familiaridade e distinção agregadas a todos os valores citados acima.

Ainda há de se falar sobre a realidade do seu logo, sua forma. É óbvio que não colocaremos coqueiros a representar seu salão de beleza; é bom lembrar que estamos livres para brincar com a imaginação dos clientes, o que quer dizer que não há limites para o desenho, assim como você não está limitado à Arial ou Comic Sans, também não se veja obrigado a contratar ou criar um novo prêmio de arte (…), limite-se a mostrar aquilo que você (o seu negócio) representa.

Portanto, chegando ao fim dessa reflexão, pudemos perceber que a realidade da tal “maior marca do mundo” se dá na verdade pelo reconhecimento obtido de seus clientes, está a cerca da agregação de valores positivos, mas acima de tudo, está na sua crença no potencial da ideia: um real empreendedor é mestre na arte da superação de obstáculos e de acreditar naquilo que ninguém mais seria capaz.

Como Criar a Maior Marca do Mundo | Universo dos Negócios

Agregando valor

Alguém iria acabar fazendo a piada de qualquer forma.

Gostou desse Artigo? Compartilhe com os seus amigos no Facebook! :)