Por que aprender inglês é tão fácil para algumas pessoas, mas para a grande maioria se torna um processo lento e quase impossível? Por que será que tanta gente acaba por desistir no meio do caminho?

Aprender inglês nunca foi fácil, mas muitas pessoas acabam cometendo alguns erros ao longo do processo de aprendizagem e isso torna o ato de aprender a língua inglesa muito mais penoso e desmotivador. Para evitar esse tipo de transtorno e ter chances reais de alcançar o sucesso na fluência, é preciso ater-se a alguns fatores.

Abaixo, separamos os 5 piores hábitos que quem mergulha no estudo da língua inglesa deve deixar de lado para poder tornar-se fluente.

Veja 5 Péssimos Hábitos que Quem Estuda Inglês Deve Deixar Hoje

  1. Aprender de forma ansiosa

Muitos são os iludidos por aquelas propagandas enganosas que ficam prometendo trazer a fluência em apenas algumas semanas, e se você já está começando com esse pensamento, é melhor desistir agora. O fato é que ninguém vai sair falando inglês sem ter passado meses estudando e praticando a língua. A ilusão faz o estudante achar que aprenderá tudo em questão de semanas, mas a verdade é que falar uma segunda língua é algo que só se aprende na base da memorização e da prática incansável. O conhecimento não virá embrulhado para você como uma fórmula mágica. O estudante é quem precisa buscar a fluência da língua, dia após dia.

  1. Não estudar diariamente

Se você quer estudar inglês, você precisa praticar todos os dias, sem exceção. Isso não quer dizer que você precise estudar por várias horas e sem pausas. O ideal é dedicar, ao menos, uma hora diária para o estudo ou a prática da língua inglesa. Aprender idiomas exige um envolvimento por parte do aluno, assim como acontece com o aprendizado da própria língua portuguesa. Hoje em dia, além de tudo o que já tínhamos antes dos avanços da tecnologia, temos também dicionários online, plataformas de ensino online – https://preply.com/pt/ – e aplicativos para smartphones. O estudante que se dedica todos os dias alcançará a fluência de forma muito mais satisfatória!

  1. Não estabelecer metas

Se seu objetivo é estudar inglês, você precisa estabelecer metas. Quem deseja ter mais habilidade na leitura, por exemplo, precisa ler textos mais técnicos e praticar menos a fluência oral. Há quem prefira ter um conhecimento mais direcionado para as empresas e, nesse caso, o ideal é participar de apresentações e reuniões de negócios. Se você quer seguir na área de pesquisas, o foco deve ser a publicação de trabalhos internacionais, entre outros exemplos. O ideal é traçar um plano e anotar suas necessidades para seguir no aprendizado da língua e, ao mesmo tempo, ampliar o conhecimento e desenvolver ou aprimorar as habilidades desejadas.

  1. Estudar de uma única fonte

Esse é outro erro cometido pelos estudantes de inglês. Estudar somente a partir do livro e não flexibilizar a forma de absorção de conhecimento trará dificuldades na hora de interpretar ou compreender outras fontes. O ideal é sempre estudar através dos livros, mas manter a prática oral com um nativo da língua inglesa ou com seus próprios colegas de classe. Paralelamente, temos os filmes legendados e a tradução de letras de músicas. Um método muito produtivo de estudar é lendo sobre temas que te interessam em sua língua materna. Assim, você une o útil ao agradável e vai poder manter-se informado, enquanto coloca em prática a língua inglesa.

  1. Dar um passo maior que a perna

Esse é o último, mas está ligado ao primeiro ponto citado nos exemplos. O aluno inicia seus estudos do inglês e, quando começa a compreender os níveis mais básicos, quer pular para o nível mais avançado. Se você está aprendendo coisas mais simples, não faz sentido começar a evoluir para temas mais avançados ou explorar um conteúdo mais robusto. Isso vai embaralhar todo seu atual conhecimento e fazer com que você comece a falar um inglês estranho, já que você vai começar a formar frases simples com preposições e palavras usadas em níveis acima. O ideal é sempre seguir o livro e avançar apenas quando você já estiver perito no que estudou até então.

Esse artigo foi patrocinado pela PrePly. Isso significa que os recomendamos como referência, mas não há influência em nossa linha editorial nem em nossa opinião.